segunda-feira, 17 de julho de 2017

Guitarra Tagima T Zero Brasil




No primeiro contato com a guitarra já pude perceber que a ponte estava com a alavanca errada e um parafuso irregular que a mantinha firme na posição. O backguard das molas também estava bem feio, ponte desregulada, potênciometro de tonalidade estragado.
  
Tirando estes problemas, a guitarra é bem gostosa de tocar. Feita a mão no Brasil (Tagima Handmade Brazil) tem uma pintura camaleão, que muda conforme a incidência de luz (azul-verde-roxo-preto). Corpo em marupá, braço em marfim e escala em ébano, marcações da escala em abalone, a guitarra tem outro diferencial que achei bem legal, ela tem 27 casas, para solar e estudar escalas no geral ela é bem bacana.




Note o pivô da alavanca, esse porca com certeza não faz parte rsrsrs



 Estava com muita folga, sem contar que essa alavanca ai é de stratocaster tradicional.



 E o backguard das molas... Putz rsrsrs..




 Vamos tirar isso para ver como está




 É rsrsrs... Ridículo !!!  Calma vou fazer essa peça.







Voltando a Floyd, note que soldaram uma porca por baixo para travar a alavanca. O antigo dono da guitarra era bem cuidadoso e caprichoso até onde pude notar, pois ela está bem cuidada. Mas com certeza nem de longe esta é a forma correta de se consertar uma alavanca rsrsrs.



 Tive que serrar a alavanca para tirar isso.





Descobrimos o ano da guitarra: 2005. Foi montada pelo Abel da Tagima rsrsrs. Note que tem furos a mais, o braço estava um pouco para frente e a guitarra não estava entonando direito. Vou fechar tudo e refazer os furos no lugar exato.




 Nossa a elétrica parecia um ninho de rato. Tem um potênciometro bom ali, alpha tambor grande, mas está estragado. Quando abri para ver tinha um cabelinho de cobre do fio do aterramento que se enroscou lá dentro e fez a resistência do potênciometro se partir.. Que pena :(  Mas de qualquer forma seria substituído pois o valor deste é 250K quando o correto deve ser um de 500K.







 Tá feio heim...



 Quase inteira desmontada...





 Agora sim inteira desmontada hehehe







 Vou manter os captadores originais pois curti o som, tem um som limpo e vivo, ao contrario da maioria dos captadores que a gente encontra que tem um timbre meio mortão e tem que trocar. Mas a elétrica vou refazer tudo e trocar esses componentes. Talvez a chave 3p eu use a mesma por enquanto.











 Vamos a elétrica nova, vou usar potênciometro americano Guitars Jones 500K no volume, conforme a foto, o da esquerda é o original que será substituído... Puta diferença né.



 E no tom vou usar um potênciometro push-pull também de 500k. Na foto um comparativo com um potênciometro comum de 500k parecido com o original da guitarra.







 Fazendo um teste para ver como vai trabalhar na interação com a chave original da guita. A idéia é o push-pull defasar o mini humbucker na posição do braço, vai ficar bem maneiro.





 Um novo backguard a caminho...



 Ai está hehehe



 Agora um trato na ponte... Olha como estava suja:








 Opa, agora sim... Com bucha japonesa nova da alavanca hehehe. É bem difícil encontrar essa bucha, ainda bem que tinha essa guardada por aqui.




Eu faria uma blindagem comum com cobre, mas resolvi usar essa ideia que a Gibson usa em suas guitarras, uma chapa de metal onde é montada e já aterrada toda a elétrica.



 Uma prévia de como vai ficar... Achei bacana.



Vai ficar bem limpo.



 E aqui está, a elétrica feita !!!



 Ficou bem melhor do que estava heim ?? hehehehe.




 E o novo backguard ??? Se tu não visse eu fazer poderia até dizer que esse é original da guitarra heim... Bem melhor agora.



 Falta só a parte mais chata... A regulagem de uma ponte Floyd Rose rsrsrs. Regulagem de oitavas, altura, ação das cordas e estabilidade/pressão das molas.



O correto é que a ponte fique reta, no mesmo nível do topo da guitarra, como no desenho I do exemplo abaixo:




 Dessa forma. Perfeito !!!




 Agora sim, toda regulada.



 Ação baixinha das cordas, vamos conferir ?



 1.44 mm !!! hohohoho



 Esse é o botão de tonalidade, e é um push-pull. Aqui na posição normal, ele funciona a guitarra normalmente com o captador do braço full humbucker original, ficando assim: PONTE- humbucker, MEIO- ponte humbucker + braço humbucker, BRAÇO- humbucker.





E aqui o push-pull acionado, transforma o captador humbucker do braço em single-coil e a guitarra passa a ganhar mais 2 timbres, ficando assim: PONTE- humbucker, MEIO- ponte humbucker + braço single, BRAÇO- single (humbucker defasado). Ficou maneiro.



Tem a opção da alavanca cromada:




Ou a preta, ambas encaixam perfeitamente.























GUITARRA TAGIMA T ZERO Brasileira

Feita a mão - São Paulo - Brasil
Ano: 2005
Corpo: Marupá
Braço: Marfim
Escala: Ébano
Ponte: Original Tagima, Floyd Rose licenciada.
Tarraxas: Originais Tagima

Captadores: Ponte- Tagima humbucker, 16K.
Braço- Tagima mini-humbucker, 12K.

Potênciometros: americanos Guitars Jones -U.S
Elétrica nova
Potênciometro tonal: G.J Push-pull, tranforma o humbucker
da posição do braço em single-coil - 6K

Capacitor: 0.47 uF. (tone)
















Nenhum comentário:

Postar um comentário